Ubuntu na terra do pão di queijo

26/05/2009

Linux encarnou o diabo da tazmania?

Filed under: Ubuntu — Leonardo Amaral @ 12:09

Faz um certo tempo que venho tomando raiva de duas coisas: Comunidades de Software Livre (Ainda mais em minas) e do Linux (Quando referencio Linux, estou usando a definição de que Linux é só o kernel). Hoje senti necessiade de expor os motivos disto neste post.

Eu acho engraçado que o pessoal com quem normalmente digo isso me olha tão torto quanto olham um MS addict, o que me faz pensar que a idéia e ser um fanclub ou algo do tipo, e não buscar qualidade, sendo sequer capazes de ouvir ou pesquisar os fundamentos deste posicionamento. Acabam acontecendo coisas como “Nossa, agora começa a falar mal de Linux” como se eu tivesse fazendo um atentado a liberdade.

Os motivos que me levam a acreditar que Linux não é um bom código ainda são bastante superficiais no que tange ao “como”, pois meu conhecimento de C/C++ e aspectos técnicos internos do Linux é bem pequeno, mas na pratica tenho algumas coisas bem evidentes. Lembro também que os motivos são puramente técnicos, o que faz com que minha opinião possa mudar com o andar da carruagem. Aproveito este parágrafo para citar que tudo isso começou a partir do kernel 2.6.2x

Recordo-me quando comecei a implantar Xen nos meus servidores, que usava inicialmente o kernel 2.6.18, e ele tinha um suporte bem pobre no quesito hardware. Isso geralmente não era problema, até aparecer problemas no PCIBACK do Xen. Nem o Xen nem o Linux sabiam onde raios tinham os gargalos. vmstat, dstat, dmesg, xm dmesg e outras coisas que conheço não relatavam problema algum. Acabou que na época perdi meu emprego por isso (O email as vezes levava mais de 1 min pra autenticar, e nem usava dominio nem nada).

Depois “foi fondo” até o Xen com kernel 2.6.27, ainda experimental. Instabilidades, memory leaks (Causados também pelo tosco módulo da Nvidia e coisas como Flash) e no final estava reiniciando o server de 2 em 2 dias. Um outro server (Esse não tinha X) tinha um problema com o 2.6.18 que ele dava panic de 3 em 3 dias. Registrei o bug no lauchpad mas não deu em nada.

Para não falar que a culpa é de patches, o 2.6.29 do Arch (E do ubuntu também com o 2.6.28 e o .30rc6 do kernel-ppa) comeu o suporte a minha webcam (Que existia ate o .27),  o iSCSI crasha com qualquer operação de escrita no disco e de quebra, essa semana lendo sobre gerenciamento de memória no Linux, descobri que o Linux elege processos pra matar quando da OOM somente pelo número de páginas abertas que ele tem na memória. Enquanto isso, num servidor (O iSCSI target da rede por sinal) rodando NetBSD…

LUANA_SYSSTAT_20080526

Ou seja, os BSDs estão a cada dia que passa se mostrando mais estaveis e rápidos, e o Linux andando para trás, removendo suporte a discos (Alguém lembra do caso dos HDs sata que num kernel versão X reconhecia e no X+.1 não?), webcams, removendo suporte a plataformas legadas (Muitos drivers que iam bem em todos os kerneis até .27 perderam a habilidade de compilar por uma mudança no kernel que faz com que o código tenha q ser mudado), e ainda por cima quebrando coisas dele mesmo:

[371854.554210]  connection1:0: Got CHECK_CONDITION but invalid data buffer size of 0
[371854.554245] sd 9:0:0:0: [sdf] Unhandled error code
[371854.554249] sd 9:0:0:0: [sdf] Result: hostbyte=DID_BAD_TARGET driverbyte=DRIVER_OK
[371854.554254] end_request: I/O error, dev sdf, sector 195365167
[371859.553208]  connection1:0: detected conn error (1011)
[371862.353704] Aborting journal on device sdf5.
[371862.353745] EXT3-fs error (device sdf5) in ext3_reserve_inode_write: Journal has aborted
[371862.376988] EXT3-fs error (device sdf5) in ext3_dirty_inode: Journal has aborted
[371862.380332] ext3_abort called.
[371862.380338] EXT3-fs error (device sdf5): ext3_journal_start_sb: Detected aborted journal
[371862.380342] Remounting filesystem read-only

leleobhz@zorg:~$ sdparm -i /dev/sdf
/dev/sdf: NetBSD    NetBSD iSCSI      0

Claro que muita coisa aqui não tem fundamento concreto – baseando-se somente na observação dos sintomas e da dificuldade extrema de diagnóstico de algumas coisas (Como no Xen). Eu acredito muito no Linux, acho mesmo que é um bom sistema (Mas acho os BSDs tecnicamente superiores), mas do jeito que as coisas andam está ficando dificil manter as coisas estaveis.

P.s: Este artigo está ligeiramente incompleto, portanto vale somente como observação. Se alguém tiver sugestões ao invés de vir com 30 pedras na mão, ótimo. A idéia e resolver os problemas, e não alimentar trolls.

Anúncios

31 Comentários »

  1. Leonardo, Boa Tarde.

    Eu entendo sua insatisfação sobre o Sistema. O que não ficou claro é que você não informa se testou em uma máquina diferente e não realizou os mesmos testes com uma configuração ou distribuição diferente.
    Acho extremamente complicado alguém dizer que um Sistema Operacional não funciona desconsiderando o universo de sistemas que hoje são utilizados usando Linux como padrão. Ambientes Web usando o Apache são referência no mercado de TI. E sabemos que, os problemas que existem hoje no Linux não estão relacionados ao Kernel. Eu até desconfio que alguém que se diz experiente com esse ambiente não consiga resolver seus problemas usando uma distribuição específica. Deveria, ao menos mudar para outra e verificar o comportamento da máquina. E não faltam distribuições hoje no mercado e que são constantemente atualizadas, por exemplo, O próprio Ubuntu que você cita em seu texto e o Fedora.
    Quando fala que “comeu” o suporte à WebCam, existe hoje no mercado diversas alternativas de drivers padrão. Portanto, por causa disso chego a desconfiar de sua real experiência com esse sistema.
    O Linux não é uma concha de retalhos. Existe um sistema aí muito conhecido que nós sabemos que é uma verdadeira concha de retalhos. Mas o linux não é. Ele é 100% baseado no S.O Unix como imagino que você saiba, e se existe algo que o linux executa bem e muito bem é gerenciamento de memória.
    Então permita-me discordar de você nessa questão porque não é a toa que o Linux é disparadamente mais estável que outros S.Os do mercado.
    O que ocorre é uma luta das distribuições em tornar o sistema acessível para a maioria das pessoas e assim popularizar o Linux. E acredito que você saiba, esse objetivo aos poucos será alcançado. Ainda estamos distante, mas não a toa existem hoje suporte a praticamente todos os tipos de hardware inclusive web-cams.
    Gostaria que você tentasse realizar seus testes em outra distribuição e sugiro que o faça sob o Linux Ubuntu.

    Achei legal seus comentários sobre os problemas que passou, mas do jeito que você comentou fica parecendo que o Linux é um sistema inviável e que a tendência é que o mesmo desapareça. E sabemos que isso não é verdade.

    Abraços,
    Marcos.

    Comentário por Marcos A. Guimarães — 26/05/2009 @ 13:43 | Responder

  2. Rapaz… toma uma maracujina e se acalma, pq nao tem o menor fundamento todos esses problemas relatados por vc. Rodo diversos servidores Linux na minha empresa e so rodo Linux em meu notebook… a cada nova versao de kernel e/ou distros eu vejo mais estabilidade, eficiencia e suporte a hardware.
    Verifica direitinho ai se o problema nao eh de hardware ou de má configuração mesmo.
    Tenho servidores de correio autenticando em AD, Apaches, Tomcats, dhcp, dns, samba, etc… ou seja, uma infra completa rodando Linux e totalmente SEM PROBLEMAS… rodando feito uma mariola…
    Respira fundo e investiga essa parada ai.

    Comentário por Daniel — 26/05/2009 @ 14:08 | Responder

  3. Comentario generico: NÃO ATAQUEI DISTROS LINUX. Somente o kernel.

    @Marcos: Cada problema que tive foi em uma máquina diferente sim. O problema é que o Linux tá virando colcha de retalho. Eu tentei nas distros Arch e Ubuntu, mas esse conceito do Linux é indiferente a environment (Lembre-se que disse somente DO KERNEL). O pessoal resolveu a cada minor colocar trocentas novas features, e quebrar outras que existem com isso (Tal como quando mexeram no DRM e passaram a usar o modesetting no kernel). Ou seja, desde +- a .22, o Linux virou um constante experimental, nunca você tem uma configuração 100% estavel. Linux não é um sistema inviavel, tanto que eu uso muito ele. Mas os kerneis mais novos (como citei) estão realmente complicados de se manterem estaveis.

    @Daniel: Eu ja tomo Ritalina e Depakote, ta bão demais :]. Você ta comparando o seu cenario e como um todo nas distros. Eu to cercando aspectos do kernel que mostra qual a linha de desenvolvimento ele está tomando, ou seja, sempre tem coisa experimental. Será que precisa mesmo? A cada release ter coisa experimental, mudar arquitetura de gestão de memoria? Não tá na hora de um 2.7? Pensa direitinho porque você levou pra uma vertente sendo que a idéia é outra.

    Comentário por Leonardo Amaral — 26/05/2009 @ 14:41 | Responder

  4. Nas máquinas que venho usando (meu desktop doméstico e notebook) verifico exatamente o contrário.
    Inclusive o suporte ATI, que nunca foi(e ainda não é (em nenhuma SO) como o da NVIDIA, vem melhorando significativamente.

    Principalmente com servidores, nunca vi tamanho descontentamento. Onde trabalho continua com a estabilidade de sempre. Mas… casos são casos, dependendo do hardware tudo pode ocorrer.

    Comentário por Rafael Nogueira — 26/05/2009 @ 15:15 | Responder

    • Deveras o suporte da Nvidia é muito melhor no Linux que em qualquer outro sistema (Mas não testei no FreeBSD). ATI sempre foi uma porcaria, e uma das maiores criticas que tenho dele é não suportar o IGP 200M, maioria aqui nos notes do BR (Meu note morreu sem ver esse suporte, e eu não sei mais como está).

      Como disse, o problema acontece majoritariamente em versões mais novas, e com algumas configurações peculiares, como RAIDs, Xen e no ultimo caso meu, com iSCSI initiator (E nem era o target!).

      Uma das recentes trapalhadas que agora me recordo foi a quebra de sincronismo entre o X.org e o Linux em relação as VGAs Intel, que praticamente ficaram sem aceleração no kernel 2.6.28 (Inclusive foi discutido imensamente este problema, e é uma das razões que tenho o 2.6.30rc6 no meu notebook – foi o único que resolveu). De qualquer forma, obrigado pelo comentário sadio e espero ver mais como esses.

      Comentário por Leonardo Amaral — 26/05/2009 @ 15:38 | Responder

  5. Nunca me arrependi tanto de ter postado uma opinião na vida. Eu não ataquei nada que não o que aconteceu comigo em relação a Kernel Linux (Nem a distros), e que desde que começaram a colocar coisas experimentais no kernel, na linhagem 2.6.2x, eu tenho medo de cada update de kernel do meu Arch ou do Ubuntu (E estou usando o 2.6.30rc6 porque os outros não gostaram muito da minha Intel). Com tanta coisa que vem acontecendo dos últimos releases até hoje, e no meio deles, muitas coisas inexplicaveis (Tem uma outra também, mas não sei se é culpa do kernel: [285364.822007] npviewer.bin[5850]: segfault at 653f565f ip 00000000653f565f sp 00000000ff882a5c error 14 – Nunca vi segfault parar no kernel, mas tudo bem, seja lá o que for, a culpa e do npviewer).

    As pessoas deturparam o que eu disse como se tivesse desejando a morte ao Linux tanto quanto as mesmas pessoas desenvolvem pelo windows. Não viram que o que eu critiquei é o que o Linux ta virando, e não o que ele é. E até me mandaram ir lá e consertar. Eu faria se soubesse programar, o que não sei, e deixei claro que não sei. Eu sempre que posso reporto bugs, e não vou deixar de faze-los – porque sei que é o que eu posso fazer. Eu tenho meu notebook rodando Kubuntu 9.04, meu Desk e mais potente computador rodando Kubuntu 9.04, o computador da minha mãe ta rodando o Ubuntu Gutsy (Porque não pude ir lá atualizar e ela não tem internet), e tenho meu novo server de iSCSI/WEB rodando NetBSD e meu Firewall rodando FreeBSD. O sistema que está rodando nos dominio semiofon.[org|info] e textolivre.[org|net|info] rodam sobre Xen com Linux (Debian lenny) e meu firewall de borda neste servidor também roda Linux. Ou seja, não deixo de reconhecer nada do que foi feito até agora, não deixo de usar, porque o sistema é bom. Mas ele está se tornando somente BOM, ou então como os leigos preferem dizer, alternativa ao windows. E se continuar assim, talvez saia de bom pra outro lugar.

    Não vou mais tocar nesses assuntos em público, porque ninguém merece ler http://www.textolivre.net/logs/textolivre-20090526_pg2.html e http://www.textolivre.net/logs/textolivre-20090526_pg3.html junto de ataques do tipo TROLL e outros adjetivos tão pejorativos. E vejam que eu, em momento algum, apelei para a ignorância, inclusive deixando CLARO que se trata de experiência minha, e que são coisas que enxergo como dificuldades do Linux em tratar. Ninguém leu o artigo. Só leram até onde disse que venho tomando raiva do Linux, e olha que isso não quer dizer que vou parar de estuda-lo, usa-lo e tentar melhora-lo na medida do possível.

    Se quiserem ler, e fazer algum incremento ao que disse (Note que incremento não é concordar comigo, mas também – quiçá – ajudar a entender o que houve, ou então propor alguma coisa que eu possa fazer ou qualquer outra coisa, que não seja ataque preventivo e gratuito) sejam bem vindos. Este espaço existe em qualquer lugar do mundo, e aqui não é exceção. Mas não pensem que eu vou expor isto de novo. Vou usar BSD sim onde não tiver confiança no Linux, e Linux onde achar que deve e pode ser usado, mas não vou por mais nada nesse nível em pauta para a comunidade.

    Cheers;

    Comentário por Leonardo Amaral — 26/05/2009 @ 15:32 | Responder

  6. Caros Leitores

    Se alguém não conseguiu compreender o Leleo nesse post, sugiro que leia essa historinha que recebi por e-mail há alguns anos, pois vai entender qual o real sentimento que vem crescendo entre pessoas que dependem ou dependiam do Linux para suas vidas:

    http://mail-index.netbsd.org/netbsd-advocacy/2005/09/10/0000.html

    Espero que sejam maduros o suficiente para respeitar críticas, e não enviar agressões infundadas e afirmações coringa, pensando que elas magicamente resolvem problemas. Adultos aceitam criticas e as usam para melhorar, enquanto crianças as rejeitam e contra-atacam dizendo “Você é [palavra chave]” (pelo primeiro comentário, a palavra chave seria “inexperiente”).

    Comentário por UdontKnow — 26/05/2009 @ 15:45 | Responder

    • Boa lembrança UdontKnow! Eu não me recordava deste link. Reflete bem o que está havendo, só que hoje talvez com maior gravidade que nesta época.

      Comentário por Leonardo Amaral — 26/05/2009 @ 16:32 | Responder

  7. Jogar a culpa de você ter perdido o emprego no Xen e no Linux foi meio que irracional…

    Comentário por anônimo — 26/05/2009 @ 15:48 | Responder

    • Não foi irracional. Eu realmente fui demitido porque o servidor caia e estava lento demais, e não resolvi o problema. Dai meu gerente me demitiu e mandou outro refazer o servidor.

      Comentário por Leonardo Amaral — 26/05/2009 @ 15:57 | Responder

  8. É verdade, a minha webcam funcionava PERFEITAMENTE no linux, até que resolveram substituir o drive por um novo driver que infelizmente NÃO FUNCIONAVA, o problema foi registrado no launchpad e até no próprio bugtracking do kernel, mas o problema demorou anos para andar, e no momento atual a webcam esta funcionando porcamente.

    Uma coisa que discordo no seu artigo é sobre a velocidade entre o Linux e os BSD, nos Benchmarks que eu vejo o linux sempre está na frente.

    Comentário por Marcelo A. — 26/05/2009 @ 18:31 | Responder

    • Na verdade o benchmark foi pra mostrar que mesmo com o iSCSI rodando, o sistema estava estavel. Ja tive casos de Linux agarrar exatamente em IO com coisas absurdas (Caso da vez. Tenho um RAID Software 1 rodando sobre Xen. A porcaria em modo sincrono faz 5 MB/sec, enquanto meu drive SATA normal faz 20 em modo sincrono…).

      Comentário por Leonardo Amaral — 26/05/2009 @ 19:30 | Responder

  9. Bom,

    Eu tô meio suspeito de falar pois faz um bom tempo que não mexo com Linux em servidores. O que posso dizer é que para mim, em minhas 3 máquinas tem atendido. Todos os hardwares estão funcionando adequadamente, inclusive a webcam do meu note. É de se esperar que o kernel esteja saindo com alguns problemas, mas isso já era previsto quando Linux adotou um modelo rápido de desenvolvimento baseado no GIT. Ele também disse que a estabilidade do kernel estaria nas mãos das distribuições (não sei se é verdade, lembro de ter lido em algum lugar). O ritmo de lançamento de pacotes do kernel das maiores distribuições é que assusta, e pode ser a causa do problema do Leleo. O Fedora por exemplo, deve ter lançado umas 5 ou 6 atualizações de kernel para a versão 9 (que só agora está ficando estável). O Ubuntu vai pelo mesmo caminho, o que parece só não ocorrer com o Debian e distros especializadas (algumas inclusive ainda na árvore 2.4). Além disso as distros lotam seus kernels de patches e firmwares. Eu jamais utilizo o último kernel por esses motivos. Não é a toa que parei no 2.6.27.

    Leleo, você testou com um kernel vanilla compilado por você?

    Comentário por Tosta — 26/05/2009 @ 20:40 | Responder

    • @tosta: Eh, esse negocio do GIT eu ia comentar, mas não me lembrei onde tinha lido sobre. Realmente foi depois dessa migração que o negócio ficou mais feio. O problema todo é que coisas q tinham sido resolvidas estão voltando, bugs novos aparecendo a cada nova versão (Mais que o normal) porque ao invés do pessoal levantar o 2.7, ficam implementando tudo que passa pela cabeça no 2.6.

      O mais próximo do vanilla que passei foi o 2.6.18 e o 2.6.27 do Xensource, que aparentemente só tem os patches do Xen. Diga-se de passagem que NUNCA consegui um bom Kernel que não criasse problemas no Ubuntu, então eu não mexo muito nisso.

      Comentário por Leonardo Amaral — 26/05/2009 @ 21:47 | Responder

  10. leonardo nunca comentei em seu blog mas sempre ha uma vez!!
    vamos la o git e uma das invenções mais revolucionarias para nos programadores!!
    ela abriu as portas para nos desenvolvedores que trabalhamos em projetos XP (extreaming programing)!!
    vamos la vou tentar explicar pq este git é tão bom em vista do cvs imagine a seguinte situação nos dois trabalhando no mesmo
    código fonte dou um get no projeto vou para faculdade modifico uma pa de coisas quando volto para da put pééé nao posso tenho que fazer merge a sim facil no caso do cvs fodel pq ele nao sabe da onde eu comecei tenho que pegar o ultimo e muar tudo dinovo se teve varios patch fodeu mais ainda volto para casa e mando todo mundo para o inferno!!

    tornado assim quase que um sacrifício para colocar uma parte nova no codigo fonte !! poe trabalho nisso coisa de muitas horas para arrumar um if as vezes

    mas o problema que vc tanto reclama pode ser os branch do git !! vou lhe deixar bem triste só serão resolvidos quando pararem de usar versões betas do kernel para distros pois o desenvolvimento ta muito rápido!!

    como funcionam os branch git +-

    fazemos um clone do repositório deles vou para facul, criar um branch e desenvolvo novas funcionalidades quando voltar vamos fazendo merges a partir do branch original ate chegar ao ultimo.

    viu so como eu ganhei produtividade nem precisei chingar ninguém!!

    solução não usar versões em desenvolvimento !!! mas as distros competem para ver quem tem a ultima :(

    espero ter lhe ajudado quem sabe um dia tbm não tenho um blog para alguem comentar

    Comentário por william de melo gueiros — 27/05/2009 @ 2:55 | Responder

    • Genial! Ficou esclarecido como o GIT funciona (Seria próximo ao Mercurial?). Falando das distros William, eu penso só uma coisa: Quoting from kernel.org: “The latest stable version of the Linux kernel is: 2.6.29.4 2009-05-20 05:27 UTC”. Eu não estou usando versão em development (Apesar de só ter meu problema com a VGA Intel resolvida com o rc4 do .30). Cai naquela q to dizendo, porque não estabiliza o 2.6 e cria a 2.7 pro pessoal quebrar? Ou então pina algumas versões “super-stable” e deixa duas arvores? Espero que você tenha entendido o que perguntei, e que tenha mais excelentes respostas! Muito obrigado!

      Comentário por Leonardo Amaral — 27/05/2009 @ 8:42 | Responder

      • isso seria uma ótima idéia que o pessoal da mysql adota a muito tempo!!
        sempre me lembro como demorou para sair o mysql 4 para o pessoal menos loco por new e sim stables acredito que o método que eles usam para gerar releases seria o melhor para o caso do kernel tbm !!

        mas lembre-se que vamos contra a partida do que os distros tanto querem, que é o suporte a novos hardwares o mais rápido possível senão os usuarios mais novos não irão usar !! sempre me lembro quando tinha que recompilar o kernel em 2000 para possuir um melhor suporte a meu usrobotics novo lançamento !!

        volta a este tempo acredito tbm não ser o caminho

        como vc acha que poderíamos resolver este problemas de evolução para usuários novos?? com hardware novo

        abraco

        Comentário por william de melo gueiros — 27/05/2009 @ 13:31

  11. Ola amigao…

    Isto que você esta dizendo é simplesmente uma jogada de marketing para que tenha pessoas lhe criticando ou elogiando o que postou. Isto que você perdeu o emprego é totalmente incompetência sua e não nos sistemas que esta utilizando. Não estou lhe dizendo é nenhuma adoração para sistema algum isto porque não represento em nenhuma comunidade importante e muito menos agora quero participar.

    Eu se estiver trabalhando numa empresa e ver que S.O. esta em pleno funcionamento, para que mudar? Só vou querer fazer mudança de distribuição ou alguma atualização de kernel quando tiver 100% de certeza que isto não vai parar e também melhorar a qualidade de trabalho para empresa e não de fazer de BIOS (Bicho Ignorante Operando Sistema).

    Empresário não quer saber se o Windows® é bom, se o Linux é totalmente estável, ou se você tem um currículo fodido. Quer ver você resolver a produtividade da empresa.

    Como diz o ditado: “Ema, ema, ema… cada um com os seus problemas!” Nenhuma distribuição Linux, Windows® ou outros S.O. são melhores e sim nos usuários que temos que garantir o ótimo uso no sistema, senão bye!.. bye! emprego.

    Comentário por Carlos Donizete (Coringao) — 27/05/2009 @ 2:56 | Responder

    • Foi um tanto impulsivo esse comentário (Ainda mais de quem veio! Não esperava). 3 profissionais, inclusive um deles conhecedor de Xen (Thanks SLot) ficaram meses para tentar achar o problema, quando no final, ninguém descobriu o porque. Bom, questão de jogada de marketing, não preciso. Eu tive 300 leituras ontem deste post, mas a média, MESMO QUANDO PASSEI MESES sem escrever fica em torno de 70 leitores/dia. Eu não tenho anúncios nesse blog e um post desta categoria seria contra o que defendo neste blog. Eu estou tentando levar a discussão prum lado técnico (De antemão, Obrigado pelo comentário William! Vou digerir o que você disse e garanto resposta), onde a idéia é mostrar o que estou achando ruim no Linux (E a coisa não ta boa pro lado do Kernel). Desculpe se cometi – em tua ótica – um crime passional.

      Comentário por Leonardo Amaral — 27/05/2009 @ 8:36 | Responder

  12. Trabalho com centenas de servidores Linux, a maioria com Red Hat Enterprise Linux e CentOS, e a minha experiência é totalmente divergente da sua, o que percebo é muita estabilidade e raramente preciso dar reboot nos servidores devido a problemas do SO.
    A minha sugestão é que utilize distribuições “Enterprise” com prazo de suporte longo que tenham uma boa política de backport e disponibilização de patches.
    E se você confia tanto nos BSDs você pode usar uma arquitetura mista, ou seja, utilize os BSDs para servidores de storage usando NFS e o Linux com servidor de aplicações montando os compartilhamentos NFS.
    E seja também mais conservador em relação a utilização de versões do kernel Linux, eu ainda estou utilizando a versão 2.6.18 que vem com o CentOS 5.3.

    Comentário por JotaEle — 27/05/2009 @ 9:41 | Responder

    • Definitivamente você não leu meu post corretamente. Você pode ter centenas de servidores com RHEL e CentOS (Desde os primórdios da minha existência eu detesto RPM based por achar um empacotamento muito fraco) e todos eles muito estáveis. Eu conheco *MUITOS*, mas muitos mesmo, servidores Linux perfeitamente estáveis e com bom desempenho, muitos inclusive ou eu que montei ou eu ajudei a montar. O que quis relatar neste artigo é que o Linux consegue ser bom em muitas coisas, mas peca terrivelmente em outras, e o pior, agora estão pecando com coisas elementares, como suporte a barramentos, o proprio iSCSI, suporte a Xen (Nunca vi nada tão terrível quanto o suporte a Xen host no Linux, mesmo no 2.6.18 – em que o pciback tem um desempenho de sofrível para pior) dentre outras coisas. Eu não sinto seguro para montar nenhum sistema com Linux sem testar muito bem antes, e não faço implementação mista para ter “dó” do Linux. Se for pra fazer isso, eu confio muito mais em BSD mesmo.
      Quanto ao fato de ser conservador, eu não acho justo você me dizer que eu deveria usar um Kernel mais velho por dois motivos:
      1) Vou usar 2.6.18 até quando? Porque do jeito que está, vai ser difícil ter um kernel production-quality
      2) Porque está estampado no kernel.org que a versão ESTAVEL é a 2.6.29 sendo que ela não é? (Pressa para lançar e ficar na midia? Pressão das empresas?)

      Comentário por Leonardo Amaral — 27/05/2009 @ 11:03 | Responder

      • Você também não entendeu, eu estou usando o kernel 2.6.18 porque é o kernel que acompanha o CentOS 5.3 que é a versão mais atual desta distribuição e se eu quisesse usar um kernel mais novo, eu mesmo teria que mante-lo. E para manter um software que não vem na distribuição é muito trabalhoso, então deixo esse trabalho para o pessoal da Red Hat, CentOS, etc. A vantagem de você usar uma distribuição “Enterprise” como o RHEL é que vários fornecedores de hardware e software homologam seus produtos para esta plataforma.
        Não vejo nenhum problema em adotar uma solução heterogênea e aproveitar o que cada plataforma tem de melhor.
        Minha experiência com storage está mais concentrada em SAN, NAS (NFS), SSA e LVM AIX, então realmente não tenho como comentar o suporte do Linux ao iSCSI.
        Eu não acho que o kernel 2.6.29 tenha sido muito testado a ponto de ser considerado pronto para produção apesar de ser estável.

        Comentário por JotaEle — 27/05/2009 @ 14:16

      • Correto, a questão da homologação está correta, mas e o próximo kernel do RHEL? Vai ser dessa linhagem? Eles vão tirar tosquices velhas que estão no kernel?

        A questão sobre os stables do kernel é por ai mesmo. Acho que se querem destruir coisas no kernel, abram a árvore 2.7 e deixem o 2.6 em paz.

        Comentário por Leonardo Amaral — 27/05/2009 @ 20:33

      • Creio que a próxima versão do RHEL corrigirá as falhas do kernel, portanto não acho que terão essa linhagem. Além disso, eles costumam incorporar drivers mais novos em versões anteriores do kernel através do processo backport para que o RHEL possa suportar dispositivos e protocolos que não existiam na época em que aquela versão foi desenvolvida. E lembre-se, o laboratório de testes do RHEL é o Fedora, sendo assim o Fedora 11 um dia vai ser um RHEL.

        Comentário por JotaEle — 27/05/2009 @ 21:42

      • Ai você já está referenciando a patches locais (Próprios da distro). Acho isso imbecil, porque a RH também tem acesso para commit na árvore padrão, e não arruma os problemas no vanilla, só no RHEL (Ok que é o produto delas, mas se é pra ser assim, então a discussão deles foge o tema deste artigo – o Kernel Linux).

        Comentário por Leonardo Amaral — 27/05/2009 @ 23:02

  13. “As pessoas deturparam o que eu disse como se tivesse desejando a morte ao Linux tanto quanto as mesmas pessoas desenvolvem pelo windows.”

    não tem jeito cara, falou mal do Linux a comunidade que infelizmente é repleta de trolls cai em cima…
    não se pode reconhecer os defeitos do SO que usam..

    .. ,-O
    .. O(_))
    .. `-O

    Comentário por Marco — 28/05/2009 @ 12:48 | Responder

  14. Leonardo,

    Entendo bem o que você se sente em relação ao kernel do linux! Mas como você sabe o mesmo é desenvolvido a 1000 mãos e muitas vezes de trabalho colaborativo.
    Portanto há algumas experiências que gostaria de compartilhar com você:
    Procure sempre utilizar hardware apropriado para seu SO;
    Exija sempre compatibilidade com seu SO do seu fornecedor de Hardware;
    Procure sempre achar validar problemas em seus sistemas linux;
    Procure sempre reportar estes problemas aos desenvolvedores;
    Procure sempre participar da solução destes problemas;
    E, finalmente, se vc utiliza software livre, procure de alguma maneira contribuir para o mesmo.

    Não pense que estou te criticando. Pessoalmente acho louvável este tipo de comentário. Só estou tentando compatilhar alguma experiência que me permitiu, ter menos problemas com meus SOs

    Abraços.

    Comentário por Angelo Marcondes de Oliveira Neto — 30/05/2009 @ 9:55 | Responder

    • Bom, tem vários outros sistemas desenvolvidos a 1000 mãos e atualmente funcionam melhor que o Linux. Anyway:

      * Porque eu preciso a condicionar meu Hardware a sistema operacional? É claro que muita coisa é suportada pelo Linux, BSD, whatever, mas se fosse pensar assim, eu precisava usar só janelas.
      * Sempre validei, reportei e participei. Tanto que tenho alguns BUGs abertos espalhados por ai.
      * Bom, esse blog, leleobhz@#ubuntu-br.freenode.net, http://www.textolivre.org e outras atitudes isoladas (Como documentação no xen-br) existem exatamente para retornar o conhecimento que eu tive.

      Essas “dicas” que você deu não são diretamente aplicadas a um SO só. Meu objetivo e criticar a forma com a qual o Linux tem direcionado seus esforços, ainda mais nas últimas versões.

      Comentário por Leonardo Amaral — 30/05/2009 @ 11:33 | Responder

  15. vc esta ai

    Comentário por murilo — 22/08/2009 @ 20:00 | Responder

  16. q esta do meu lado

    Comentário por murilo — 22/08/2009 @ 20:02 | Responder

  17. Eu só li os primeiros comentários. Saudades dos tempos do kernel par e impar, como 2.4 e 2.5. Releases de produçao e releases de funcionalidades em teste. Nao esse auê. O 2.4 tinha coisas arcaicas, mas era muito mais facil compilá-lo sem quebrar coisas, as dependencias tinham logica. Peguei a transiçao para o 2.4 nos primeiros dias e aguardei com muita ansiedade os releases candidate do 2.6. Quem acompanhou sabe que ele começou a endireitar la pelo 2.6.8.+-
    No começo usei Slack e há muiito tempo migrei para o Debian. Realmente as coisas quebram as vezes, em uma versao o wireless funciona e o eth nao, na outra o contrario, e assim por diante. No kernel 2.4 ficava brincando de fazer o menor kernel possivel, vá fazer isso no kernel 2.6…Infelizmente o linux esta se transformando em coisa de pia pançudo atras de uma ideologia para seguir, para ser contra o sistema. Isso nao é Linux. Ver coisas como hal, selinux, grub desde o começo, discutir sao coisas que estao se perdendo. Por pura teimosia uso debian, por ser o mais puro, o verdadeiro GNU-linux…

    Comentário por Menon — 06/07/2010 @ 19:38 | Responder


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: